segunda-feira, agosto 02, 2010

Polícia para quem precisa

“Dizem que ela existe/Pra ajudar/Dizem que ela existe/Pra proteger/Eu sei que ela pode/Te parar/Eu sei que ela pode/Te prender/Polícia! Para quem precisa...”
Já assiti a mais de um show dos Titãs e eles sempre provocam uma excitação na plateia ao tocar essa música. Plateia majoritariamente jovem que têm com a polícia uma relação pouco amistosa ou muita amistosa, dependendo da situação. Polícia é pró ou contra conforme o lado que estamos.
Para o rapaz que atropelou o filho da atriz Cissa Guimarães, a polícia foi uma mãe. Os agentes foram testemunhas quase oculares do acidente, já que chegaram ao local do atropelamento poucos minutos depois, antes mesmo das ambulâncias, mas desdenharam do acidentado e se concentraram no atropelador, aquele que dirigia um carro semidestruído e que poderia render uma gorda propina. Infelizmente, no lugar do motorista, muitos teriam feito o mesmo: “Quanto você quer para não ter me visto?” No lugar do policial, poucos teriam respondido: “Quero os fatos, apenas”. Policiais ganham uma merreca, trabalham em atividade perigosa, são estigmatizados e mal treinados. Não há muito interesse em ser honesto às duas manhã.
Dias depois, um policial de Fortaleza, outro despreparado, atirou contra Bruce Cristian, que tinha nome de artista, mas não era artista, estava apenas na carona da moto do seu pai, que não viu o PM tentando interceptar seu caminho e acelerou em frente, o que bastou para que seu filho de 14 anos levasse um tiro na nuca, por trás.
“Dizem pra você/Obedecer/Dizem pra você/Responder/Dizem pra você/Cooperar/Dizem pra você/Respeitar/Polícia! Para quem precisa...”
Tudo é acidental. É o que consta dos relatórios, dos inquéritos, dos depoimentos: desculpe, foi acidental. Matar é um acidente. Corromper é um acidente. O Brasil é um acidente.
Difícil apontar inocentes e culpados num país que não consegue fazer seus cidadãos entenderem a importância da seriedade na conduta social, um país que não consegue moralizar o cotidiano, que possui uma lei para cada caso e não uma lei única e severa que se imponha sobre o “acidental”.
Somos todos franco-atiradores querendo se safar. Policiais vestem um uniforme e portam armas com a chance de brincar de mocinho e bandido, sem se darem conta de que a bala não é de festim. E ainda têm a rara oportunidade de se sentirem superiores a filhinhos de papai: “Quero 10 mil, estaciona ali e te vira”. E os cadáveres ficam pelo caminho. Polícia, quem precisa?
Todos nós precisamos da polícia. De homens cuja missão é nos proteger. E os policiais precisam de nós também, que deveríamos fazer a nossa parte, agindo com civilidade e assumindo nossos erros. Porém, sem treinamento e salário decente nas corporações, sem educação e respeito às leis na sociedade, enfim, sem uma ética nacional que valha para todos, instala-se o faroeste."
Martha Medeiros Fonte:ZH 28/7

27 comentários:

Chica disse...

Precisamos de policiais bons e bem pagos, que estejam contentes com sua função e que nos respeitem também!De volta das férias, deixi um beijo e linda semana,chica

Guará Matos disse...

Relação polícia - população é lamentável muitas vezes.
Polícia não precisa ser amiga, ou inimiga. SImplesmente justa e correta.
Bjs.

Victor Gil disse...

Pois! A polícia trata das coisas também um pouco conforme as situações. Sei que são mal pagos. Aí como aqui. Mas por vezes também fecham ou abrem os olhos conforme lhes agrada.
Beijos
Victor Gil

Misturação - Ana Karla disse...

Muito bom o texto e o Gaurá tem razão: "polícia não precisa amiga ou inimiga, apenas justa e correta".

Boa semana.
Xeros

JOANA CAMPOS disse...

Olá, vim agradecer e retribuir sua visita, nossa como vc fala forte heim mulher? relamente nossos poiciais estão sem rumo, pois realmente creio que o mal salario não justifica a falta de caráter. Mas isso são outros 500, ou será os mesmos? vai saber!


Tiespero sempre com um cafezin quentin, pra trocarmos um dedo de prosa.
Beijos querida e volte sempre!
Joana Campos

JOANA CAMPOS disse...

Ah esqueci de dizer, gostei demais da foto do Mateus na árvore.

Fui!

Joana Campos

Folhas de Andreza disse...

" Servir e Proteger" esse é o lema aqui de Campinas...infelismente nem sempre...servir a quem? proteger a quem?A quem pagar melhor...a quem calar diante dos fatos? É coisas de um país onde pra tudo dá-se um jeitinho brasileiro...
Fica a vontade...use e abuse dos bilhetinhos...olha que eles dão um calor quando recebe...rsrsrs
bjks doce no ♥.

lucidreira disse...

A Marta Medeiros faz desta sua reflexão a verdadeira visão do que é a policía em nosso país. Concordo em genero número e grau de todo o escrito por ela.
É isso aí, seu espaço está de parabéns por postar esta matéris, e espero que todos os amigos e seguidores leiam e opinem.
Abraço.

Daniel Savio disse...

Infelizmente, acho que uma boa dose de sermos os culpados...

Fique com Deus, menina Mariana.
Um abraço.

Minéia Pacheco disse...

Olá,

Realmente nosso país precisa de políciais bem pagos e que tenham uma melhor preparação. Quem sabe assim, as coisas não melhorem!

Beijos e até mais...

L.O.L. disse...

Ainda continuo a dizer que os polícias do presente foram bandidos no passado.

L.O.L. disse...

Obrigado por seguir meu blog.
Um grande abraço de Portugal. :)
**

Tere disse...

se são mal pagos ou não,não sei só sei que quando eles vão ser policiais já sabem quanto vão ganhar.portanto eu tenho é medo.tere.

Camila disse...

Coincidência demais entre este texto e o que postei no meu blog. É vergonhoso que ainda estejamos em um estágio tão animalesco, no qual é aceitável qualquer coisa pra se livrar das repreensões, qualquer jeitinho. Nessas situações, o Legião sempre é conveniente, porque é preciso perguntar: Que país é esse?

Vozes de Minha Alma disse...

Então, esses policiais, são parcela da população.
Temos muito que melhorar.

Mauro S disse...

Oi Mariana, um texto direto desta jornalista (jornalista?), é isto aí, mas são tantas as situações... tem gente usando arma e despreparado para tal, se fossem atirar que fosse para o alto, e se fosse com alguma direção, pra parar, nos pneus, e já seria um risco.
Um dia destes eu li que pararam ou tentaram parar alguém, estavam vestidos como policiais, mas eram bandidos.
Quem nos dará segurança?
Acho que hoje em dia no Brasil não há segurança, estamos por nós, a polícia não protege, o governo também não, e cada vez mais crimes, basta olhar os noticiários do dia a dia, morre gente aqui, ali, e etc.
Não dá!
Alguma coisa tem que ser feita, mas não contra quem tem medo e grita por socorro, quem quer viver, mas sim contra a marginália que existe por aí, e quanto à polícia, tem sim que ser melhor preparada, porque do jeito que está não dá.
Beijos.

Cacá disse...

Acorda amor
Eu tive um pesadelo agora
Sonhei que tinha gente lá fora
Batendo no portão, que aflição
Era a dura, numa muito escura viatura
Minha nossa santa criatura
Chame, chame, chame lá
Chame, chame o ladrão, chame o ladrão

Acorda amor
Não é mais pesadelo nada
Tem gente já no vão de escada
Fazendo confusão, que aflição
São os homens
E eu aqui parado de pijama
Eu não gosto de passar vexame
Chame, chame, chame
Chame o ladrão, chame o ladrão

Se eu demorar uns meses
Convém, às vezes, você sofrer
Mas depois de um ano eu não vindo
Ponha a roupa de domingo
E pode me esquecer

Acorda amor
Que o bicho é brabo e não sossega
Se você corre o bicho pega
Se fica não sei não
Atenção
Não demora
Dia desses chega a sua hora
Não discuta à toa não reclame
Clame, chame lá, chame, chame
Chame o ladrão, chame o ladrão, chame o ladrão
(Não esqueça a escova, o sabonete e o violão) (Acorda, Amor, de C. Buarque)

Mariana, esta música, apesar de ter sido feita num contexto de ditadura militar, ainda persiste com seu eco no nosso cotidiano.
Um abraço. paz e bem.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Mariana
Voltei. Obrigado pela força dada durante minha ausência. Estou adorando o livro.
Bjs

Salete Cattae disse...

Vim retribuir sua visita ao meu blog e gostei muito daqui.

Tema polêmico esse sobre polícia...meu marido é policial, um marido maravilhoso, companheiro, honesto, íntegro e nunca roubou nada de ninguém, mas ele teve educação de berço...coisa rara nesse país!

Voltarei mais vezes...

bjs

Lidia Ferreira disse...

Marina , nossa que texto por isso sou sua Fã rsrsrs vc escreve o que tudo muito pensa , mas voce sabe colocar em palavras
Sei que os policias estavam errado , mas espero que tb se puna o rapaz que dirigia , ou sera que a corda vai rebentar só no lado mais fraco ?
Bjs
te encontro o tt

ValériaC disse...

Lamentável... terrível isso...dá medo da polícia...
Beijinhos
Valéria

Janeisa Tomás disse...

Texto inteligente e bem-humorado, precisamos apenas que a polícia cumpra seu dever de ser justa e fazer seu trabalho como deveria ser.
Bjs

Inconformado68 disse...

Antes de mais quero agradecer sua visita, e seguir este inconformado,

E claro que tive a curiosidade de espreitar o seu espaço, e olha que agradável surpresa, temos a mesma visão, espírito de critica, construtiva, baseada em factos da vida quotidiana da nossa sociedade, e sou da mesma opinião a corrupção é um dos maiores flagelos das nossas sociedades.

Vou continuar a seguir o seu espaço, com muito interesse.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, grande post...Espectacular....
Cumprimentos

Amor feito Poesia disse...

Um selinho prá voces meus amigos aqui neste blog.
Vos ofereço com muito carinho e amor.

Beijos na alma! M@ria

Eduardo Medeiros disse...

É Mariana, nossa polícia é muito mal preparada. É das mais violentas do mundo. Há um tempo atrás, nos respeitávamos o policial, hoje, temos medo dele tal qual temos medo do ladrão.

Precisamos de um novo pacto social. Precisamos moralizar as instituições, pagar dignamente quem arrisca a própria vida e trabalhar a ética nas relações.

abraços

Pensador disse...

Um bom texto. Eu gosto muito dos Titãs e, de fato, já vi a reação do público quando esta música é tocada (outras, de letras fortes e críticas, também, mas não vem ao caso da análise).
Infelizmente, em um país onde não há o mínimo respeito pelo cidadão, o trocadilho do refrão da música vai continuar verdadeiro por muito tempo.
Beijo!