quarta-feira, setembro 30, 2009

A maior tragédia da vida

No episódio de ontem do Criminal Minds, contava a história de um homem normal, bom profissional, bom pai de três filhas, marido, homem equilibrado, até que um dia trocando o pneu do carro, sua filha menor (+- 5 anos) sai do carro e é atropelada vindo a falecer.
Ele passou “secretamente” a sentir-se culpado e matar motoristas loiras.
Ele “pirou”, imaginava que sua família, seus colegas o culpavam...
O episódio termina com uma frase de um ex-presidente que diz que a morte de um filho é a maior tragédia da vida.
Concordo com esta frase, e é por isso que participo da ONG Alerta, criada pela Lisette.
Sei da sua dor, e vejo nesta mulher uma pessoa doce, encantadora, lutando pela vida de outras mães, querendo impedir que mais pais sintam o que o seu coração e do seu marido sentem todos os dias.
Sendo uma mãe que tendo o seu coração dilacerado, não a tornou amarga.
Quando vejo pessoas querendo tirar vantagem da dor da Lisette, eu sinto nojo. É revoltante.
Se aproximar desta mãe, querendo se beneficiar com a posição do seu marido é algo que vejo constantemente. Vejo também fecharem as portas para a ONG por não “simpatizarem” com as opiniões do seu marido.
Para mim é tão claro, marido é o pai que sofre com a perda da filha e o homem público é outro.
Não consigo misturar as coisas, assim como o irmão gêmeo dele, que parece “igualzinho” é outra pessoa.
Para mim é inaceitável e desumano pessoas quererem tirar vantagem da dor da maior tragédia da vida.
Não sei como há “seres humanos” sem sentimentos bons, sem solidariedade, sem compaixão ao próximo.
Como não sensibilizar o coração diante da maior tragédia da vida? Eu não consigo entender.
Este é o meu desabafo de hoje, pois posso viver milhões de anos, mas há fatos que não consigo compreender ou aceitar.

19 comentários:

seu gordo disse...

e precisso desabafar para o coraçao nao parar rsrsrs ate rimou beijo do gordo fica na paz

wcastanheira disse...

Um texto interessante, profundo, levou-me a pensar, em alguns casos semelhantes, as emoções e a razão como andam distantes, como são quase imperceptíveis, confundem-se por vezes, bela escolha, bjos, bjos, bjoss

ZildaeAntonio disse...

Querida Mariana
Nossa família sofre a perda de uma jóvem, na ocasião de 16 anos, num desastre da automóvel. Nossa sobrinha e a cunhada do meu marido, mãe dela teve, infelizmente uma reação completamente diferente da sua amiga Lizete. Há mais de vinte anos não conseguiu se recuperar e não aceitou ou assimilou a ajuda, que de várias formas tentamos passar. É realmente a maior de todas as dores, a perda de um filho.
Um abraço e tudo de bom!

Lisette Feijó disse...

Amiga Mariana, sabe depois do acidente da Alessandra aprendi que cada pessoas tem seu tempo e limitação, me decepcionei muito aamigos pensei que tinha mas vi que eles não sabem lidar com a morte, mas como dizem Deus nõ fecha uma janela sem abrir outra, conheci pessoas como tu que acretitam que de alguma forma precisamos lutar por um mundo melhor para estas crianças que estão aí, um mundo mais digno, honesto, humano é nisso que eu acredito e é isso que me faz sobreviver, se eu puder salvar uma vida já estou satisfeita, sei que é um trabalho lendo e demorado mas temso que acreditar e ter fé.
Interesse o ser humano funciona assim sempre buscar algo que lhe convém, egoísta, tirar proveito, sei lá o nome que for não importa o que vale o que se leva é o que foi feito por amor, não se leva nada desta vida só o que fica no coração vale...mas cada um tem seu tempo pata aprender...paz e obrigada pelo teu carinho um grande beijo Lisette.

Elaine Barnes disse...

Infelizmente o mal existe.As pessoas que se aproveitam de quem sofre uma perda dessas, se aproveitam sempre de tudo, de todas as situações. Elas veem o mundo assim. Graças a Deus que o bem nos diferencia dessas pessoas. Talvez elas não tenham consciência da LEI da ação e reação. Perdem a oportunidade de serem solidárias, humanitárias, gratas e cooperativas. Isso é um presente divino que elas não tem. Crescer como ser humano não é para qualquer um, é apenas para quem está realmente disponível ao amor e ao universo. bjs miga

angela disse...

Tem pessoas que separam sentimentos da razão e as vezes os deixam tão longe que não conseguem mais sentir.
beijos

Majoli disse...

Mariana, seu desabafo é forte e mostra muito de humanidade, coisa que falta em muitas pessoas.
Falta sentimento no ser humano, falta carinho, apoio.
Por isso as vezes me tranco em mim, pra deixar fluir cada vez mais o meu lado bom.

Parabéns por isso amiga.

Beijos doces no teu coração.

Yuria disse...

Un blog muy agradable el tuyo.
Descubrí tu nombre en el blog de Alma máter.
Saludos.

Everson Russo disse...

São terriveis situações dessa louca vida...um beijo querida e um belo dia pra ti.

Bego disse...

Hola Mariana, gracias por pasar por uno de mis blogs y dejar constancia con tu comentario.

Con respecto a lo que me comentas, si que puedes acceder a otro de los blogs, Vivir con esperanza en el futuro, esta es la dirección:

http://begoagon.blogspot.com/

Un saludo.

Larissa disse...

Olá Mariana, obrigada pela visita em meu blog, fico muito feliz em saber que gostou. Sempre retribuirei a visita. Um beijo, Larissa

Elzenir disse...

Como disse em um texto a bondade e a maldade está em todos. O ser humano não tem ideia da dimensão do mal de que é capaz, o que nos resta são as escolhas entre o bem e o mal.Abraços.

Adolfo Payés disse...

Un blog muy acogedor.. te sigo para poder visitarte con mas frecuencia..

Un beso

Un abrazo con mis
Saludos fraternos de siempre..

Antonio Paulo disse...

Senacional Mariana vindo de você não é novidade para mim sua revolta. Mas na vida é assim poucos se aproximam para ajudar sem interesse. E me fazes perguntar lembras que te consultei sobre enviar aquelas palavras que escrevi sobre a Alessandra?
Porque eu mesmo sem muita cultura pensei sera que não irão confundir o que escrevi de coração com oportunismo?
Verdade minha amiga eu tenho essa consciência mas os aproveitadores de plantão não a tem podes crer. Mas dona Lisette além de saber distinguir situações puras com esperteza tem que saber lidar com esses dissimuladores e aproveitadores de plantão. Sabemos que como mãe ela aceita mas como esposa de um homem público há que filtrar certos tipos de " ajuda".As vezes digo uma blasfêmia que confessarei aqui: " Deus criou o homem a sua imagem mas as almas desse seres perderam-se ao longo do tempo em vázios escuros em abísmos sem volta e ai meu maior erro: foi a sua pior criação o ser quase humano"

1 de Outubro de 2009 17:04

Raul Carneiro disse...

Oi Mariana. Obrigado pela visita e comentários. Também assisti ao episodio, mas prefiro CSI...rs..abraços, Raul.

Beatriz Prestes disse...

Mariana querida....

Um texto que trava a garganta!! Grita verdades e nos faz refletir, e sentir...
Beijo carinhoso
Bea

Ângela Coelho disse...

Escrevestes uma postagem muito corajosa e com sentimentos profundos.
Quando a minha sogra perdeu o filho mais velho para o câncer, ele já tinha 59 anos; ela me falou que quando a mãe perde um filho perde um pedaço dela mesma.
Minha sogra era uma mulher muito forte, mas quando sentava na sala, em frente a foto do filho ela deixava cair lágrimas, mesmo passado anos de seu desenlace.
Beijos no teu coração.

Bárbara disse...

Adorei o post,foi importante para sensibilizar certos corações 'empedrados' que existem por aí!
Beijooos

Fernanda Guerra disse...

Pessoas necessitam de pessoas para viver só que algumas precisam sugar outras mas lembra que tem um dom como esta mãe não precisa se preocupar pois nada pega.