sexta-feira, agosto 28, 2009

A dor transformada em Ação







O verdadeiro amor não é aquele que se alimenta de carinho e beijos mas sim aquele que suporta a renúncia e consegue viver na saudade..."

Esta frase dedico a Lisette, minha querida amiga que sobrevive um dia por vez há 1 ano e 7 meses, desde que a sua linda Alessandra de 18 anos virou Anjo, vítima da guerra do trânsito.
Vejo na Lisette um coração tão doce, tão terno, que transformou o coração o símbolo suave da saudade.
E desta dor surgiu a ONG Alerta, onde o objetivo é levar à todos que é possível sim evitar que mais lares sejam desfeitos.
Aprendo a cada dia de convívio amar e admirar mais esta mulher.Já lhe disse muitas vezes que eu não sei da onde vem a sua força.
Estou aprendendo com a Alerta muitas lições, que vão além do conhecimento das leis do trânsito e de tudo o que é possível fazer para acabar com fatos como este.
Nenhuma mãe merece receber as cinzas de um filho. Isto deveria ser Decreto Divino.
Amanhã terá o jantar solidário ( o primeiro de muitos) em benefício de muitas vidas.

Mensagem do fim de semana: Fique Atento! Fique Vivo!
ALERTA Sempre!
Foi coincidência o poste abaixo com este.( o que motivou o abaixo foi a reportagem do ZH e este é o jantar de amanhã).
Vamos viver o presente, demonstrar carinho,amor à quem é especial para nós.
Beijos à todos.

28 comentários:

mimbre disse...

Hola Mariana...
Admiro tu sencibilidad, te veo comprometida con la sociedad y sus problemas, más es evidente tu fuerza como mujer en todas tus publicaciones. Felicitaciones¡¡
Es un honor que seas una de mis seguidoras, espero no defraudarte con mis letras, amiga¡¡
Un abrazo enorme y buen finde semana para ti...
Osvaldo

Lisette Feijó disse...

Mariana obrigada pelo teu carinho e por me ajudar a cada reunião a fazer a ALERTA se tornar realidade, tenho que terminar minha história neste mundo e vou faze-la da melhor maneira possível, como mãe hoje simplesmente sobrevivo mas sei que vou ajudar a salvar vidas, grande bj da amiga Lisette.

Suzana Saldanha disse...

Uma filha linda cheia de vida, não deve ser fácil continuar belo trabalho de vocês.

Majoli disse...

Nem consigo me imaginar no lugar de Lisette.
Tenho um filho de 17 anos e ao ler seu post, me veio uma dor no peito.
Leve meu carinho a ela Mariana.

Beijos.

Lu Citadin disse...

Mari,que belas palavras,o destino se encarregou de deixar um anjo também na terra para a Lisette.
Bjs

Maria Bonfá disse...

que triste Mariana..sou mãe e nem consigo imaginar a dor de perder uma filha. minha solidariedade a ela.. e obrigada pela visita.. beijos

Chá das Cinco disse...

Que bom que você esteja apoiando esta causa,você sabe da minha dor por conta de um bêbado.
Enquanto não mudar a lei de trânito e colocar na cadeia os que dirigem embriagados,e em caso de morte o crime ser doloso a violência no trânsito não vai diminuir.
Tem que morrer um figurão do governo para que isso conteça,do contrário a vida do brasileiro continuará não valendo nada para o governo.
Um abraço Mariana

Luciano Braz disse...

Nenhuma mãe merece receber as cinzas de um filho. Isto deveria ser Decreto Divino.


Minha amiga sua declaração me toca muito, que Deus abençõe nossos lares, e que sua amiga receba força divina todos os dias para superar as dores e viver com com esta falta que corta a alma.

Oremos todos pelas mães e pais que nesta vida passam por esta provação!


Um abraço carinhoso

Luciano Braz

Poetiza disse...

Cosas de la vida que dan tristeza. Te dejo un beso, cuidate amiga.

António Manuel disse...

Mariana:

Do fundo do Coração esta historia me tocou muito:

Aqui dôu o Meu Grande Abraço a Todas as Familiàres e Amigos Vitimas de violência do Trâsinto...

Mariana palàvras para què?

Você è Maravilhosa seu gesto è Divino:

Parabèns!!!

Tenha um maravilhoso fim de semana

Com carinho abraço mèu

Antònìo Manuel

lili disse...

Uma mãe aprende a viver com o coração na esperança que as pessoas muddem para melhor, julgar jamais e sim tentar fazer a sua parte dignamente a cada dia e lembrar somos todos iguais.

emulodeCharlot disse...

Mariana;
Bienvenida a mi camino y marchemos juntos.Gracias por el comentario a mis escritos.
Con relación a los niños que ya no viven,como poeta puedo decir qué,
hay un cielo acordado para ellos y los payasos.Son los únicos que viven el cuento de hadas.
Recibirás mas trabajos.Por ahora te
besa..Saúl.-

Anita disse...

Não me conformo com esses coisas sabia? têm pessoas que diz que já está acostumada com isso, mas eu nao consigo. Aliás, não devemos nos acomodar com tanta violência, tanta brutalidade.
Parabéns para sua amiga, que apesar de todo sofrimento, está lutando para que tenhamos um mundo mais justo.

Beijão e bom domingo.

Antonio Paulo disse...

A Lisette Feijó de fato é uma pessoa espiritualizada. Fez da dor ocasionada pela tragédia uma bandeira de luta em favor de todos nós. Pais mães e avós enfim familiares desses seres que partem assim tão violentamente. Que principalmente os jovens aliem-se a essa causa.

Maria disse...

Oi Mariana,
Digo que, cada vez que o coração de uma mãe, sangra por um filho,
muitas células de força são renovadas no espírito, pelo ESPÍRITO SANTO - "Deus não nos dá a cruz que não suportaríamos levar."
Beijos no coração e um abraço solidário a essa mãe guerreira Lisette.
Tenha um ótimo final de semana.

007BONDeblog disse...

Mariana

Bom dia

Sem dúvida uma prova dificílima e uma dor que só pode ser avaliada por quem sente, e "perde" um filho.

Quando muito acho que só fço uma pálida idéia do que possa representar esse fato na vida dos pais.

O TRÂNSITO É UMA LOUCURA, uma das formas mais violentas e crueis com que nós nos expressamos e relacionamos no dia a dia.

Estou linkando seu blog no BONDeindica.

Parabéns pelo seu belo blog

Um abraço e grato pela visita

Anônimo disse...

É admirável o trabalho da Lisette.
Eu como mãe não suportaria viver sem minhas filhas lindas.
ficaria revoltada com Deus,com tudo,seria capaz de me suicidar.
É por pensar assim,que mulher como a tua amiga é para ser idolatrada.
Fazer o bem para os outros,neste caso déve ser muito dificil.
Tiro o chapéu para ela,e sem conhecê-la a admiro.
Eu jamais teria a grandeza da Lisette.Eu enlouqueceria,se não me matasse.
Acho q sobreviveria sem meus pais e sem meu marido,mas jamais sem minhas filhas.

angela disse...

Mariana
Um prazer te-la no meu blog, gostei muito do seu e acho muito sensivel tudo o escreve.
Tenho um marido transplantado do figado ha 13 anos, minha filha tinha sete quando ele adoeceu, agora tem 21. Pode imaginar a gratidão que tenho pela familia que conseguiu doar os orgãos de um querido sofrendo a dor de te-lo perdido.
Até hoje me emociono quando lembro disso e não consigo muito falar, mas seu blog é especial( vc é especial) e estou aqui escrevendo.
Uma boa semana
Beijo

Fernanda Guerra disse...

Muita luz para esta família e que esta mãe consiga fazer seu trabalho maravilhoso.

Eloisa disse...

A anônima escreveu o que nós mães sentimos e não temos coragem de dizer,porque parece fraqueza demais.
Belo trabalho da Lisette,é uma mãe de coragem e um grande mulher.
Desejo que a Ong seja reconhecida por todos,o trabalho parece ser especial.
Parabéns pelo teu blog,ele é bem diversificado.
Sempre visito,raramente comento.

Zé Carlos disse...

Um beijo Mariana, obrigado pela visita e por suas palavras. Um beijo também para a Lisette, que o Pai do céu a tenha sempre nas mãos.
Zé Carlos

ONG ALERTA disse...

Esta linda menina é um anjo que vai ajudar que devemos dar maior atenção ao trânsito deste pais, muitas vidas são tiradas e famílias desfeitas não é justo, não é fácil continuar mas vale a pena pois o que fica esta em nosso coração para sempre, obrigada Mariana um beijo Lisette.

(Carlos Soares) disse...

Puxa.Sinto muito. Deixo minha solidariedade e desejo de força a sua amiga Lisette. Disse bem, a criança virou anjo e é assim que Deus as recebe.Seja forte.Obrigado pela visita.beijos

Fabiana disse...

Precisa ter muita coragem e força para lutar pela sobrevivência após a morte de uma filha.
Força é o que não falta na tua amiga Lisette.Esta mulher deve ser admirável.
Tenho duas filhas pequenas e minha vida gira por elas,eu vivo por elas.
Não teria forças para viver,não consigo em escrever.
É um belo trabalho,doloroso,mas nobre.Meus respeito à Lisete.

Lau Milesi disse...

Ah...Mariana, que tristeza!!!Minha solidariedade à Lisette. Mais um estrelinha no céu. Que os anjos a protejam.
Um beijo pra você e para a Lisette.

António Manuel disse...

Mariana:

Agradeço sua visita:

Estou lhe gràto pelos seus comèntàrios:

Tenha uma semana cheia de realizações


Com Carinho Abraço Mèu...


Antònio Manuel

Anônimo disse...

Viva a vida tudo tem seu tempo...luz menina linda...

Anônimo disse...

Estamos nesta vida para aprender e ajudar, que esta mãe continue fazendo seu trabalho de amar as pessoas.