sábado, dezembro 20, 2008

A Farra dos vereadores:por que não médicos?

"Uma pergunta: teria mais serventia para o nosso país a criação de 7.343 novas vagas de vereadores ou a criação de 7.343 vagas de médicos atendendo pelo SUS?”
A pergunta acima, que da melhor forma resumiu a farra da criação de vagas para mais vereadores patrocinada pelo Senado, não é minha, nem de qualquer outro jornalista, mas de Cláudio Navarro Silveira, de Belo Horizonte, e foi publicada no Painel do Leitor da Folha.
De uns tempos para cá, tenho observado que os leitores mantêm mais acesa sua capacidade de se indignar com as barbaridades cometidas no Congresso Nacional do que nós, jornalistas. Basta ver as seções de leitores dos jornais e os comentários na internet.
Para não deixar o leitor Silveira sem resposta, diria que, sim, teria mais serventia contratar médicos, ou professores, policiais ou garis, economizando o dinheiro para empregar em coisas mais úteis _ como a construção de escolas, por exemplo.
O custo do mandato de cada vereador do Rio ou de São Paulo foi calculado em torno de R$ 5 milhões pela ONG Transparência Brasil _ mais do que o de um parlamentar de dez países, entre eles Alemanha, França e Reino Unido, como a Folha publicou hoje.
Disse bem o presidente Lula em seu papo no café de final de ano com jornalistas em Brasília: “Não são 7 mil vereadores que vão resolver os problemas das cidades”.
A farra da criação de novas vagas nas Câmaras Municipais para suplentes de vereador foi patrocinada por senadores de todos os grandes partidos, com apenas cinco honrosas exceções, que merecem ser destacadas: Cristovam Buarque (PDT/DF), Kátia Abreu (DEM/TO), João Pedro (PT/AM), Raimundo Colombo (DEM/SC) e Tião Viana (PT/AC).
O obscuro senador Demóstenes Torres (DEM/GO), trazido à ribalta por um suposto grampo de conversa dele com Gilmar Mendes, presidente do STF, sempre de plantão para atacar o governo, criticou a decisão da mesa diretora da Câmara que barrou a emenda aprovada no Senado:
“Surfar na onda da moralidade é fácil demais. Ele jogou para a galera porque agora todo mundo é contra”, desdenhou Demóstenes, um surfista em tempo integral nesta modalidade, ao criticar o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia.
Mas a hipocrisia de um notório arauto da moralidade, que disputa os holofotes com Demóstenes, não escapou da observação de um outro leitor da Folha, Sandro Ferreira, de Ponta Grossa, no Paraná:
“O senador Álvaro Dias, em que eu votei na última eleição, envergonhou-me com sua declaração de que `é uma pressão enorme, não podemos desamparar nossos amigos´”.
Como se vê, os políticos podem contar com a boa vontade de colunistas distraídos ou cansados, mas os leitores, seus eleitores, continuam atentos."
http://colunistas.ig.com.br/ricardokotscho

2 comentários:

Antonio Paulo disse...

Mariana o mais triste é que saiu daqui de um gaúcho a idéia dessa farra e ele alega que não vai mexer no dinheiro porque o orçamento continua o mesmo mas ele é safado mesmo já tem outras safadezas suas e sabemos e os nossos senadores são cretinos mesmo os disfarçados.

Anônimo disse...

MARIANA. O MAIS LAMENTAVEL NISTO TUDO É QUE OS 3 SENADORES GAUCHOS VOTARAM A FAVOR...TENHO PENA DELES...PELO POUCO CASO, PELA FALTA DE RESPEITO AO POVO QUE OS ELEGEU...LASTIMAVEL SOBRE TODOS OS ASPECTOS...PALMAS AO VEREADOR DUARTE DE PELOTAS Q ESTAVA LÁ MANDANDO CONTRA ESTA IMORALIDADE,IMUNDICE,PODRIDÃO CRIADA PELO DEP.POMPEO ALBERGUEIRO E ASSEDIADOR DA NETA DO BRIZOLA.-JADER MARTINS.-