quinta-feira, julho 15, 2010

Casamento homossexual na Argentina

Em uma polêmica que dividiu a população e os políticos do país, o Senado da Argentina aprovou nesta madrugada o projeto de lei que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Segundo o texto "o casamento terá os mesmos requisitos e efeitos, independente de os contratantes serem do mesmo ou de diferente sexo". Um dos pontos mais controversos dessa equiparação está na possibilidade de os casais homossexuais adotarem crianças.
Eu acho "bobagem" o casamento no "papel" civil e religioso, mas respeito quem "sonha" em seguir a tradição,independente da condição sexual.
Acredito também que os homossexuais devem ter o mesmo direito dos heterossexuais, ambos são cidadãos com obrigações e pagam os mesmos impostos.
Então porque alguns podem casar e outros não?
Porque o casal heterossexual pode pôr de dependente seu companheiro(a) no convênio médico(por exemplo), já o homossexual tem de brigar na justiça para "tentar" conseguir?

Sei também que a maioria da sociedade é preconceituosa e hipócrita.
Acredito que ser homossexual é uma condição genética e não uma "opção sexual".
Sou da opinião que os direitos e as obrigações devem ser iguais para todos.

29 comentários:

Cris disse...

Oi Mariana!
Eu estava justamente lendo esta notícia agora há pouco. Acho que você tem toda razão. Todos, independente da opção sexual, temos os mesmos direitos e deveres.
Beijos! Tenha também um ótimo dia e pelo visto, gelado!

Wanderley Elian Lima disse...

Concordo plenamente com você. O que precisamos é acabar com a hipocrisia no mundo.
Beijos

Eduardo Medeiros disse...

Também acredito na origem biológica. Esse papo de "opção" não é viável nem demonstrável. Logo, que eles tenham seus direitos civis reconhecidos.

Mas uma questão deve ser discutida. Até que ponto uma criança com dois pais onde um pai é a mãe ou duas mães onde uma é o pai ou os dois são pais e os dois são mães (falo isso sem nenhum preconceito, só para reforçar o que estou dizendo) pode causar numa cabecinha infantil. EStamos preparados para isso como sociedade? Talvez seja uma questão sem nenhuma relevância e as crianças crescerão psicologicamente resolvidas. Fica aí a discussão, se é que há algo a discutir.

abraços

Luís Coelho disse...

Pois então que lhe chamem tudo menos casamento.
Casamento é heterosexual. Homem mulher.
Não tenho nada contra um homem que queira de companhia outro homem ou uma mulher que queira partilhar a sua vida com outra mulher, mas não chamem a isso casamento.
Naturalmente as crianças normais tem um pai e uma mãe.
O resto é contra-natura

Sueli disse...

Falou e disse, Mariana! Outro dia uma pessoa perguntou-me "Se Deus fez somente o homem e a mulher, por que tem que existir outro sexo?". E eu respondi: "Você estava lá quando Deus estava organizando os sexos???!!!...". As pessoas ainda pretendem ser sabedoras do que Deus criou ou não! Pode???. Tenho repulsa por esse preconceito tolo e infundado. Há postagem nova no Fenixando e no Bloggirls (http://meninasdoblog6.blogspot.com), apareça!) Um abração!

lucidreira disse...

Espero que passe e com folga a nova lei na Argentina, seria um exemplo para nós brasileiros que já tem até projetos e com muitos aderentes a proíbiçao de casais homo a adotarem crianças. E com tantas crianças esperando um lar para melhor sobreviver.

Camila Santiago disse...

ahhhh e polêmico mesmo essa historia.... nem sei o que falar... bom dia pra vc.

Cacá disse...

Você falou na hipocrisia da sociedade e falou muito bem. Na verdade, a lei quando é tornada letra oficial está apenas sacramentando o que já existe de fato, estendendo direitos e obrigações legais ao que já é costume no cotidiano das pessoas. Aos opositores da medida fica parecendo que a situação saiu assim do nada, da cabeça do legislador, quando o fato já ocorre há muito. Abraços.

Carlos Albuquerque disse...

De acordo com o que escreveu!
Sendo heterosexual, como sou, defendo que os que o não sejam tenham os mesmos direitos que eu.
Saúdo a Argentina pelo passo dado.
Em Portugal também o demos, embora sem o reconhecimento do poder de adopção.
É tempo de se varrer a hipocrisia que domina a Sociedade dos Humanos, neste como noutros temas.
Abraço

ValériaC disse...

Penso que seja um grande passo para se não minimizar o preconceito, ao menos de mais respeito, para com os homossexuais.
Beijinhos...
Valéria

Phivos Nicolaides disse...

Ola querida amiga. Viagens

Guará Matos disse...

Aplausos para o Senado argentino. Atitude que merece louvor.
As pessoas têm o direito de amar e viver como desejam. Isso é independente a orientação sexua, religiosa, política, etc.
Bjs.

Anônimo disse...

Tô com você e não abro, querida Mariana! Sou cristã e o Deus em que acredito não é preconceituoso,vingativo, retalhador,invejoso,hipócrita.Ele é perfeito, justo e de uma generosidade infinita. E se assim não fosse, estaríamos todos ferrados. E foi Ele quem criou tudo e todas as criaturas do universo. Impressiona como tem gente que se acha no direito de falar em nome Dele,pra tentar justificar sua mentalidade mesquinha. De mais a mais, casamento no civil é invenção da sociedade pra garantir o patrimônio e direitos de outra ordem. E pra finalizar, vi um debate na tv que eu adorei, qdo. discutiram o mesmo tema na Califórnia e uma advogada dos direitos civis disse: "Se você é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, então não case com alguém do mesmo sexo que o seu."É simples assim. Acho que cuidar da nossa própria vida já é trabalho bastante, pra querer dar palpite na dos outros. Grande beijo! Marcia de Noriê

**£ú® disse...

Vim prá me desculpar pela ausência ... andei meio adoentada e sem ânimo para passear pelos blogs ... mas como hoje é dia internacional do homem, resolvi fazer uma homenagenzinha a eles ... passa lá em casa, tô te esperando ... bj ... **£ú®

Rosemildo Sales Furtado disse...

Concordo plenamente contigo. Afinal, o casamento é um contrato social firmado entre duas pessoas, tal e qual um contrato social firmado numa empresa de responsabilidade limitada. A única diferença é que no caso do casamento, entra o sexo, só que pra se fazer sexo, não há necessidade de casamento. Acho que o preconceito está falando mais alto.

Beijos,

Furtado.

Isadora disse...

Marina que bom ver que outros Países começam a colocar o preconceito de lado e caminhar como vem caminhando a humanidade.
Um beijo

angela disse...

Bobagem lutar contra o que já está acontecendo e além disso o que define uma pessoa não é o que nem o que ela faz na cama e sim o que ela faz que afeta a vida dos outros e sexo é algo pessoal e particular que quando feito com o consentimento do outro, ninguem tem nada com isso. Duro mesmo é aguentar corruptos, assassinos, etc.
beijos

Marilu disse...

Amiga Mariana, eu acredito que independente da opção sexual de cada um, todos nós seres humanos temos direito a felicidade. E os homosexuais tem todo o direito de terem uma união estável, herança, plano de saúde, e todas as coisas normais que os hetero..tem quando se casam..Parabéns a Argentina por ter aprovado essa lei...Beijocas

Pena disse...

Estimada e Carinhosa Amiga:
"...Acredito que ser homossexual é uma condição genética e não uma "opção sexual".
Sou da opinião que os direitos e as obrigações devem ser iguais para todos...."

Concordo inteiramente consigo.
Uma visão sensata, sóbria e plena da problemática.
Parabéns.
Beijinhos amigos de imenso respeito.
Sempre a admirá-la e ao que faz em prol do bem estar da Humanidade em que é sempre justa, lúcida e brilhante.

pena

mimbre disse...

Hola Mariana...
GRACIAS QUERIDA AMIGA¡¡ Por hacerte eco de la ley que sanciono el Senado en mi pais¡¡
De ahora en más, todos y todas con los mismos derechos y obligaciones¡
Los que estan en contra de la ley argumentan un sin fín de cuestiones:
Que los hijos criados por "este" tipo de parejas, seguramente serán como ellos...(?)
Dos cosas quiero explicar: La homosexualidad, no es un virus ó bacteria, por lo tanto no es contagiosa¡¡A que tienen miedo?
Y es bien sabido por la prensa de todo el mundo que los casos más
aberrantes de violaciones y sometimientos, provienen de matrimonios heterosexuales...Sin palabras¡¡
Un abrazo enorme
Osvaldo

Pepi disse...

Olá,
"Nosso Mãe" também não tem preconceitos
Ela acha que todo ser humano é livre, e suas escolhas devem ser respeitadas
Lambeijos e Ronrons
Pepi e Xixo

legalmente loira... disse...

oi mariana,
eu não tenho preconceito
e sou muito a favor cada um que viva a sua vida como queira.
otimo final de semana com bjos.

ONG ALERTA disse...

Direitos realmente é de todos...paz.
Beijo Lisette

Meire disse...

Oiii, tbm acho todos devem ser tratados igualmente...independente de qualquer coisa!!!!!!!! Arrasou no texto...beijo grande :)

ZildaeAntonio disse...

Oi, Mariana
Respeito o seu modo de pensar, mas temo pelas consequências futuras para as crianças criadas por homossexuais.
A respeito da união homossexual, acho que os direitos e os deveres devem ser garantidos para essa opção sexual. Porém, não vejo necessidade de ser chamado "casamento" e sim um contrato para garantir os seus direitos e expor os deveres.
Um abraço e tudo de bom!

Fernanda disse...

Ta todo mundo falando sobre isso!!!
eu sou a favor, deixa eles serem felizes

FERNANDO disse...

Oi, Mariana.
Viver e deixar viver é um lema antigo, mas de valor inestimável.
Afinal, quem é quem pra impôr regras num contexto dessa natureza? Pessoalmente, tenho a mente aberta pra relações como essas, e ainda que não me vejo nesse meio, cada um sabe o que é melhor pra si. Não prejudicando os demais, pra que tanta polêmica?
Beijos, dona moça. Vou deixar um chimarrão quentinho pra quando vc resovler aparecer lá no meu humilde espaço.

Isa mar disse...

Mariana minha querida, vim agradecer pela sua amizade e te dizer: feliz dia do amigo!
Gostei muito da matéria, parabéns!

Daniel Savio disse...

Para mim também entra a parte de direitos adquiridos, pois ambos tems no mínimo uma união quando decidem viver juntos...

Fique com Deus, menina Mariana.
Um abraço.