terça-feira, novembro 17, 2009

Sou contra o casamento "no papel"


Sei que irei ser criticada, afinal a minha opinião é diferente da maioria das pessoas, mas colocarei mesmo assim.
Sou contra o casamento "no papel".
É aquele juramento que ninguém sabe se poderá cumprir, acho um absurdo.
Claro que todo mundo "quer ser feliz até que a morte os separe", mas a realidade tem mostrado que não é bem assim.
Se o papel fosse sinônimo de felicidade, amor e respeito, eu teria um casamento "no papel".
Para mim promessa é dívida, e como eu vou jurar amar, respeitar até que a morte nos separe?
E se o amado se transformar num traste, se eu não estiver feliz ao lado dele? Como fica o juramento?
Para mim, não serve.
Estava eu num casamento a qual a noiva estava casando com um "cara" que para os meus conceitos não era uma pessoa do bem. Confidenciei para a pessoa ao meu lado"coitada, casando com este cara", ouvi que isto não é coisa para ser dita dentro de uma igreja.
Eles casaram, a festa foi linda, maravilhosa e eles foram infelizes até a separação. Hoje ela está feliz da vida "casada" não no papel, tem um filho do atual marido, e irradia felicidade.
Uma conhecida casou com um lindo rapaz, a festa "foi o sonho da família".
Ele sofreu um acidente, quase morreu, ficou com sequelas, deixou de ser um homem perfeito fisicamente. bem ela não aguentou a situação e separou.
Quem sou eu para condená-la? Ela não estava preparada para "viver na doença, na tristeza, até que a morte os separe", mas não sabia disto. E sentindo-se despreparada, fez o que achou melhor, tentar a felicidade de outra maneira.
As pessoas são humanas, e ninguém sabe o que lhe espera no futuro, como irão reagir.
Pergunto: Como fazer um juramento, se desconhecemos o futuro?
Para mim não dá.
Prefiro viver no "pecado" (como não sou casada no papel, para minha mãe eu sou pecadora), mas prefiro estar na busca diária da felicidade plena, sem juramentos que não sei se poderei cumprir.
Para mim "promessa" é dívida e não podemos prometer o que não temos certeza se conseguiremos cumprir, e é isto que eu ensino para o Matheus.
Agora podem me xingar a vontade, mas é isto que eu sempre pensei.

28 comentários:

Sidney disse...

Bom dia Mariana, eu penso como você, nunca me casei no papel, vivi com uma pessoa por 12 anos,tenho dois filhos lindos, e nunca acreditei que vivi em pecado, meu conceito de pecado é bem diferente. beijos. seja muito feliz,a vida é para ser vivida, não precisa de papel para isso.

Chica disse...

Eu apesar de estar casada no papel e tudo mais há quase 41 anos, vejo que hoje, é muito melhor morar juntos apenas.Na hora de separar fica mais prático e fácil, isso se tiverem a sorte de se separar antes da chegada de filhos...Depois, complica de qq. jeito. rsrs beijos,chica

Pelos caminhos da vida. disse...

Estou de plena acordo com vc amiga.

Papel não dá amor,carinho, respeito, confiança...

Sou casada apenas no papel.

Boa tarde!

beijooo.

Bárbara disse...

Nossa,me enchi de felicidade com o seu comentário no meu blog... Não palavras para agradecer o carinho que tem demonstrado nos seus comentários,e mais,sei que é sincero!
Beijoooos!

Majoli disse...

Nunca te xingaria, meu casamento foi uma droga, tudo que ele prometeu não cumpriu, nem um tiquinho de nada, papel?...foi só pra depois gastar mais pra separar..tudo se paga.
Só me restou de lembrança, aliás foi a única coisa boa que aconteceu em minha vida, os meus 3 filhos, fora isso nada valeu a pena.

Apoiada minha amiga.

Beijos mil, ADOREI teu texto!!!

Victor Gil disse...

Querida amiga Mariana.
Sstou completamente de acordo contigo. Eu por acaso o fiz com papel passado, com se diz, mas se fosse hoje, papel, só serve mesmo para complicar.
Beijos minha amiga.
Victor Gil

estrella disse...

AMIGA MUY RESPETABLE TU MANERA DE PENSAR, EL MATRIMONIO ES LA UNION DE DOS SERES QUE S E AMAN PERO TIENES RAZON NADIE SABE QUE PASARA EN EL FUTURO, SIN EMBARGO SI NOS CASAMOS CON LA CONVICCION DE QUE ESTO ES PARA SIEMPRE SE TIENE QUE ALIMENTARA DIARIO ESTE AMOR, ESTA ILUSION, EL PROBLEMA ES QUE HOY EN DIA LOS MATRIMONIOS SON DESECHABLES, EN SU MAYORIA NO LO DIGO PORTODOS PORKE HAY MATRIMONIOS MUY ESTABLES A PESAR DE LOS AÑOS PERO BIEN EN MI CASO YO ME CASE PARA SIEMPRE ESA FUE MI DESICION PERO ESPERO ASI SEA PORKE COMO DICES AMIGA NO SABEMOS QUE PUEDA PASAR O KE NOS HAGA DECIDIR UN CAMBIO, AMIGA BUENA ENTRADACOMO PARA REFLEXIONARLA UN ABRAZO Y BENDICIONES CON AMOR....LUZ ESTRELLA

Desnuda disse...

Oi, Mariana!


Amiga, eu concordo com você, inteiramente. Minha mãe e meu marido quiseram tudo nos " conformes". E não custava fazer a vontade deles. Isto há 25 anos atrás e até hoje não troquei meus documentos kkkkkkkkkkkkkkkkk. Continuam como solteira e sem o nome dele. Enfim, o que quero demonstrar é como ligo para isso: não dou a mínima. E vivemos um dia de cada vez e muito bem! Advogava na área de família e muito nova comecei a ter compreensão da vida conjugal, sem estar casada. Minha mãe casou-se com meu pai , teve 3 filhos, separou-se e foi morar com meu padastro um homem maravilhoso. Ela foi a segunda mulher a separar-se na cidade. Imagina o preconceito! Foi muito perseguida e julgada não só pela sociedade, mas perseguida pela familia tradicional e com poderio do meu pai. Uma longa, linda e vitoriosa a história que findou apenas com a morte do meu padastro. Minha filha , não demora muito se casa , eu e meu marido já falamos sobre isso de papel, embora seja o noivo um excelente rapaz. Pela desimportância mesmo. Mas ela deseja tudo nos conformes. Enfim, o que importa é a vontade da pessoa e sobretudo, o direito de ser feliz como e com quem escolher independente de papel, que não é garantia de felicidade, respeito e amor.



Beijão, amiga!

Pena disse...

Oh, Maravilhosa e Simpática Amiga:
Olhe, quanto a este assunto prefiro silenciar-me.
Outras pessoas poderão comentar.
Só sei que admiro muito o seu sentimento e pensamento, aliás, já tinha pensado em visitá-la, sabe?
Por alguma razão o iria fazer, mais tarde ou mais cedo.
"Confeccionou" um texto controverso, de incerteza e profundo de imensa significação.
Sabe, concordo e discordo.
Tudo na vida é esperança, sensatez, sobriedade e responsabilidade. O Amor, daqueles verdadeiros e autênticos, também equivale a sensatez.
Todos nos deveríamos gerir num procedimento assim, penso eu.
MUITO OBRIGADO pelo carinho deixado no meu blogue.
Admiro-a e respeito-a imenso.
Tem um valor de assinalar.
Beijinhos de pura amizade.
Com fascínio e deslumbre pelo seu mais gigantesco sentir.

pena

Bem-Haja, preciosa amiga de encantar.

Wanderley Elian Lima disse...

O iMariana, o que une duas pessoas não é um papel e sim o sentimento de amor, respeito e companheirismo. Sem isto não tem papel que segure uma relação.
Beijos

Angeles disse...

Hola bonita.
Creo que lo importante es amar, con papel o sin papel la pareja es un Ser que se alimenta de dos Seres, yo elegí el matrimonio por iglesia, porque así lo sentía, pero sin gran fiesta ni vestido de novia, una ceremonia bien sencilla, en definitiva creo en el amor y que está siempre bendecido porque es bendición en si mismo, no creo en el pecado.
Besos:)

Maria José disse...

Mariana. Eu penso que o fato não é casar ou deixar de casar no papel, como você coloca. E tampouco, jurar amor eterno. Isso não existe!!! É impossível fazer um juramento de algo que não tem certeza. Mas acho que o verdadeiro amor está nas almas afins, naquelas pessoas que já se conhecem de outras vidas e que se reencontram, simplesmente pelo prazer de estarem juntas. Beijos e obrigada pela visita ao meu blog.

Pedaços de Tempo disse...

Subscrevo totalmente aquilo que dizes! Somos seres imperfeitos e, como tal, não é possível a ninguém garantir o cumprimento de tal um juramento!

Só a Igreja é que ainda viu isso (ou não quer ver...) e, os resultados são o que temos visto nos últimos tempos!

Por mim falo que, já passei por isso...


Bjs do teu amigo do outro lado do atlântico,
CR/de

Luciano Braz disse...

Então , eu concordo plenamente, so o fato de ter que fazer contrato já é um sinal que num vai presta.

Olha nem com trato nem sem trato ... além de fazer a besteira ainda temos que deixar formalizado ...

Affff

(Carlos Soares) disse...

Bem,Mariana.Antes de dar minha opinião,quero agradecer muito por seus comentários e atenção. Concordo em quase tudo com você.Essa coisa de juramento vem lá do passado,assim como outras heranças que a gente precisa engolir. Hoje a sociedade é outra,apesar de eu não ser tão favorável à liberação geral que vemos hoje.Mas também, não sou falso moralista. Acabo concordando com voc~e,sobre ser contra papel passado,até porque hoje em dia morou juntos 01 ano ou 02 já se tem direitos civis,tanto de um lado como do outro. Enfim, vale mesmo é o sentimento,o respeito,dedicação de ambas as partes. Mas no caso de o parceiro sofrer um acidente,ficar em cadeira de rodas,ou cair de cama e outro o deixar,você não acha meio cruel? É um caso a pensar também, pois a gente não ama só o belo.Beijossss

sandra Freitas disse...

O minha linda, por que chingar você? Penso que você tem razão, o casamento da maneira como a humanidade concebe e a sociedade impõe é apenas um contrato que a religião quer que dure eternamente. Mas como fazer um contrato durar eternamente? Todo contrato tem fim um dia. O Casamento aos olhos de Deus foi criado lá em Gênesis, é projeto e invenção de Deus, esse sim é para sempre. Deus se interessa em unir as pessoas pra cumprir o seu Propósito, ter famílias normais.E nós vemos poucas famílias normais. O esposo que ama e cuida da esposa, a esposa que repeita e auxilia o marido, ambos cuidam dos filhos, que por sua vez se respeitam e amam os paes. Se todas as famílias fossem assim, viveríamos numa sociedade normal onde o governo de Deus seria pleno. Não estou falando de religião, estou falando de como Deus vê a familia. O casamento assim como o sexo, a família, e tantas outras coisas boas nasceram do coração de Deus, mas o homem as vezes que dar outra roupagem e acaba estragando as coisas.
Gostei da sua sinceridade, eu me casei no papel, mas não é ele que ata ou desata meu casamento.Não teve cireimônia,não fizemos juramento nenhum apenas nos colocamos debaixo do governo de Deus.
Amo seus posts, amo esse blog de coração.

Ufa..falei demais..rsrsr

bjokas matrimonias...rsrrs

Everson Russo disse...

São conceitos diferentes que cada um tem, o casamento legal é o do papel, o da igreja é só pra sociedade ver, em nenhum dos casos a promessa do felizes para sempre pode ser garantida, a minha mãe tambem, enquanto viva, tinha o mesmo pensamento da sua, tem que ser no papel, hoje em dia, direitos são adquiridos batando morar juntos, então, cada vez mais o casamento vai perdendo seu valor...um beijo e uma linda quarta feira.

Antonio Paulo disse...

Minha amiga Mariana fazia hs que eu não comparecia a esse belo blogue. E vim para concordar contigo e com todos que acreditam que o papel tem varias utilidades e entre elas aceitar qualquer coisa até aquilo rsrrsrsrsr.Os tempos mudaram sou casado há 45 anos mas tenho a mente aberta. Um abraço amiga assim que souber onde vou ficar de papai noel te aviso.

ZildaeAntonio disse...

Querida Mariana
Eu a admiro, ainda mais, por externar seu pensamento, seu modo de ver e sentir essa difícil decisão que é o casamento.
Lembro que há quase quarenta anos, depois de quatro anos de namoro resolvemos casar, verificamos que para casar na igreja católica, além do juramento (que poderíamos cumprir ou não) teríamos que pagar pelo tapete, pela ornamentação, luz, música e etc... senão o tapete seria enrolado, as flores retiradas e etc... Como não tínhamos dinheiro e ninguém para ajudar e além disso não concordamos com juramento que mais tarde pode não ser cumprido, resolvemos casar no civil, no cartório. Assinamos os papéis, mas não precisamos jurar, foi mais sensato.
Respeito e não censuro a sua opinião!
Um abraço e tudo de bom, seja muito feliz!

angela disse...

Estou no segundo casamento, o primeiro no papel durou 5 anos o segundo, sem papel dura 23 e com ou sem papel a diferença foi que aprendi a escolher melhor..rsrs
O papel não significa nada é só papel.
beijos

ONG ALERTA disse...

Mariana o papel não serve para nada se não ouver coração na história, os casais não dão tempo para seu relacionamento na primeira crise é mais fácil separar, para mim o papel não muda nada, mas tem quem pensa diferente enfim cada um sabe o que é melhor ou pior para si, sorte, paz.

Indiana disse...

Hola Minha querida Mariana,

Nossa te xingar por que? Bato palmas pra vc,quanta hipocrisia essa não??,a lei dos homens por sinal horrorosas...
Será que no início dos tempos tinha tanto papel? Hoje em dia a maioria se casa por algum interesse, até a morte os separe,não deveria ser até que a grana acabe,rsrsrsrs
O que importa é o amor e o respeito mútuo. Fui casada por longos 15 anos no papel,festa,lua de mel, apartamento tudo um desastre,entrei numa canoa furada.
Hoje sou casada de novo e muito feliz, só o que importa é o amor e amizade o resto acontece com o tempo.
bjssssssssss
Indiana.

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá! Dei uma passadinha por aqui,

só para ver como você estava

e te desejar um

ÓTIMO DIA!!!



Lembre-se, hoje é um dia muito especial,

Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,

Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.

Bom Dia!!!

beijooo.

Pensador disse...

Não posso dizer que não a entenda ou que não concorde, apesar de ser casado no papel. Não é papel, não é igreja que segura um casamento. E, realmente, jurar, diante de centenas de testemunhas, um amor eterno, é algo no mínimo assustador, quando paramos para pensar.

Anônimo disse...

Mariana. numa união entre um homem e uma mulher a estabilidade não e ditada pela assinatura em um simples pedaço de papel...o importante é a coisa mais simples "AMOR" 4 letrinhas q dizem tudo...jader martins.-

Tais Luso de Carvalho disse...

Oi, Mariana, ai, menina, esse negócio de papel não faz a mínima diferença! Quem discordaria vendo tantas coisas que acontecem nesse mundinho matrimonial? O importante não é um contrato meio que hipócrita, o importante são os sentimentos que vão unir duas pessoas; o importante é a verdade e a intenção dessa união. O resto é balela. Com papel ou sem papel, com filhos ou sem filhos, quando vier a separação...salve-se quem puder! A gente sabe o que acontece.

Beijos, minha amiga nova, obrigada pela sua visita e comentário. Estou lhe seguindo.
Tais luso

Sofia Carvalho disse...

Tens toda a razão no que dizes mariana, não vejo isso dessa forma. Que vives em peacado, porque não estás casada por "papel"...As pessoas fazem promessas que as vezes nem sabem o que significam, ou porque são muito novas e não sabem que podem surgir dificuldades em que não se sintam preparadas para isso...
O que interessa Mariana, é ser feliz com um sem papel...
Carpe diem!:)
Beijinhos e boa semana

Histórias do Rio de Janeiro disse...

Mulher corajosa vir a público admitir uma coisa assim, mas acho legal sua audácia.
Parabéns mulher guereira.