segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Bem-estar embrulhado com papel e fita

Gosto de muitas coisas, e uma delas é receber e dar presentes (simplesmente adoro).
Não compreendo como algumas pessoas tem o hábito de ao serem presenteadas dizerem:Não precisava se incomodar.
Eu acho isto tão chato. Jamais digo isto, porque eu adoro presentes.
Fico feliz em presentear e também em receber.
Por isto que achei interessante esta matéria:
Símbolo de afeto, o presente ajuda a expressar sentimentos. E dar uma lembrança, está provado, ativa no cérebro as áreas ligadas a mecanismos de recompensa. Por isso, o gesto fala.
Fala direto ao coração e... traz prazer. Pesquisadores da Universidade do Sul da Dinamarca comprovaram algo que o filósofo Sêneca, contemporâneo de Jesus Cristo, já dizia há mais de 2 mil anos: “Muitas vezes, uma pequena oferta produz grandes efeitos”. Por meio de ressonância magnética, eles descobriram que a mera imagem de um embrulho bonito já desencadeia um turbilhão de reações cerebrais.
a visão do pacote aciona áreas de comunicação verbal, como o giro fusiforme esquerdo, usado na leitura, e o córtex frontal inferior, responsável por dar significado às coisas.
Para psiquiatras e psicólogos, esse é o retrato do afeto na massa cinzenta. “Presentear faz parte da natureza humana e é um gesto que dá tanto sensação de bem-estar a quem dá como a quem recebe”.
O curioso: as respostas cerebrais são mais intensas quanto maior for a proximidade do objeto ofertado com símbolos de carinho. “Dessa maneira, uma rosa pode fazer muito mais efeito no cérebro do que um carro último tipo”, explica a psicóloga.
Os presentes fazem parte da história da evolução humana. “Nós desenvolvemos comportamentos pró-sociais, isto é, que demonstram características de cooperação social e reciprocidade, para aumentar as chances de sobrevivência da espécie.” Para muitos especialistas, isso justificaria as reações de prazer observadas no cérebro.
Não é pelo fato de o hábito de presentear estar relacionado a sensações positivas que se deve cair na tentação de banalizá-lo. O psiquiatra Geraldo Possendoro, professor de medicina comportamental na Universidade Federal de São Paulo, a Unifesp, opina: “A recompensa material permanente, como a daqueles brinquedos mais baratos comprados por qualquer motivo, estimulam o prazer imediato e o materialismo, o que nunca é bom”. Segundo ele, no mundo moderno, o pacote bonito bem que poderia ser substituído por tempo. “É preciso arranjar alguns momentos para estar ao lado de quem a gente ama. Abraçar e beijar os filhos, dizer quanto eles são importantes não deixa de ser uma maneira de presentear e ser presenteado — com pacotes de carinho.” Fique claro: o que os cientistas dinamarqueses enxergaram como reação a embrulhos coloridos na verdade também aparece em outras manifestações que têm como pano de fundo a generosidade — o saber dar e o saber receber. “Há experiências mostrando respostas cerebrais muito parecidas em quem realiza trabalhos voluntários”, lembra Jorge Moll. “O engajamento em causas sociais, quando o indivíduo consegue doar um pouco de si mesmo, está relacionado não apenas ao bem-estar psicológico como ao próprio aumento da longevidade.”
Em grande parte, isso acontece porque há uma redução do estresse quando o cérebro vivencia essas reações de recompensa. E, afinal, quem vive mais estressado tende a apresentar uma série de problemas de saúde.
Fonte: revista Saúde, ed.abril

6 comentários:

Antonio Paulo disse...

Grande amiga Mariana aqui nesse espaço recebemos belos ensinamentos trazidos por você.Gosto também de presentear e lógico receber presentes. E um deles é sua amizade.

Anônimo disse...

Querida Mariana: O amigo Antônio Paulo disse tudo.Faço coro ás suas palavras. Mesmo assim, não esqueça de sua promessa(eu não esqueci):Quando ficares fica, manda a minha BMW.Prometo que não vou dizer o chato "...Não precisava se incomodar!!!" Um abraço e esteja com DEUS.Seu amigo ÉVERTON.

Anônimo disse...

Querida Mariana: Retificando, eu quis dizer, quando ficares RICA!!!.Abração do ÉVERTON.

Mariana disse...

Éverton qd eu acertar os 6 nº da Mega Sena, não esquecerei de ti.Só fico pensando qual estrada de Santa Maria tu irás dirigir o teu BMW.

Mariana disse...

Éverton, é brincadeira.As ruas de SM não tem tantos buracos assim.

Lisette Feijó disse...

Mariana muito bom esta artigo, pois é verdade as vezes um carinho deixa as pessoas muito felizes não importa o que mas sim serem lembradas um grande bj. Lisette.