sábado, outubro 11, 2008

Um estranho na minha Casa

Um guri alto e magrelo( Felipe) de 15 anos passou vendendo abacaxi na minha casa:4 por R$10,00.
Achei os abacaxis pequenos, disse-lhe que iria comprar porque estava chovendo e ele todo molhado.
Bem era quase 14 horas.Ofereci uma capa de chuva (nova)e um boné. Pensei q não adianta dar-lhe a capa e ele ficar com a roupa molhada.
Peguei bermuda e blusa do Gerson também. Não perguntei se a cueca estava molhada, porque fiquei com vergonha.
Ele estava de chinelos, não ganhou um par de calçados pq calça 41 e o número do Gerson é 40.
Ele disse q mora em Portão, e qd saiu de casa não estava chovendo.
Ofereci almoço. Coitadinho ,só em filme eu tinha visto alguém comer daquele jeito,engolia a comida, falava com a boca cheia e mesmo tendo colher, no final ele terminou de comer o feijão "chupando" o prato.Repetiu e recebeu de sobremesa torta de bolacha.
Disse q minha comida estava muito boa e que eu sou muito legal.
Disse que estuda no primeiro ano do ensino médio, achou o Matheus muito alto para 12 anos.
Ele é apenas uma criança, bem cara de guri.
E antes de continuar vendendo seus abacaxis, jogou uma partida de play com o Matheus.

14 comentários:

Aline disse...

Essa minha tia tem um coração de ouro!Tenho orgulho de ser sobrinha dela!te amo!

Roberto disse...

Que historia bonita para o final de semana das crianças.

Mateus disse...

eu achei o teu gesto bonito, mas toma cuidado quem tu bota dentro de casa.este guri pode ser um bom rapaz, mas nem todos são.Parabéns pela boa ação.Fiq alerta e siga tua intuição.Dizem q mulher tem.

Anônimo disse...

Mariana, tu não existe...sempre procurando ajudar as pessoas mais necessitadas...q Deus continue te iluminado p/continuares a fazer o bem aos nossos proximos...um abração jader.-

Anônimo disse...

Mariana, tu não existe...sempre procurando ajudar as pessoas mais necessitadas...q Deus continue te iluminado p/continuares a fazer o bem aos nossos proximos...um abração jader.-

Anônimo disse...

não pode confiar em todo mundo, cuidado.hj fazer o bem é arriscado.É difícil alguem agir como vc.Vc teve sorte e o garoto tb.

Anônimo disse...

Parabéns cunhada, que boa ação voce fez. Imagina o que isso pode representar para aquele menino, e um belo exemplo para o Matheus. Andréia

Claudia disse...

Este garoto não esquecerá este sábado chuvoso, com certeza.Não deixe d fazer o bem com medo de estar ajudando gente do mal.Abraço.

Anônimo disse...

A Bíblia, quando se refere à hospitalidade, sinaliza que, ao praticá-la, podes ter acolhido um Anjo. E,com certeza, cara Mariana, foi isto que fizeste.Acolheste um enviado de Deus.E como o Filho Dele, humilde, despojado e puro. Deus guiou os teus passos e sempre guiará, até quando precisares distinguir os bons dos maus.Que sempre, mas sempre mesmo, sigas a voz do coração.Sabes bem porque. Grande abraço. Éverton.

Anônimo disse...

Se é que a sra fez esta boa ação - acolher, ajudar, alimentar, vestir e calçar um "estranho" em sua casa, fez muito bem- mas, para os céus, tudo isto se perdeu com o alarde q a sra faz deste fato, como se fosse uma fututa candidata a vereadora de sua cidadezinha. Jogar confetes na própria cabeça é coisa de gente hipócrita e fingida. Fazer o bem é algo q deve ficar entre a pessoa que recebeu a ajuda - para que não seja humilhado - e a pessoa que realizou o ato caridoso. Pense nisto, se a sra for capaz...

Mariana Moura disse...

"Anônimo", imagina eu querer ser vereadora " da minha "cidadezinha", quero é ser PRESIDENTE dos EUA/.Se vc quer saber, blog é a substuição do "diário de caderno".Não humilhei o guri em nenhum momento.Tenho mil defeitos, mas algo q não sou é hipócrita e fingida./Com certeza vc não me conhece./Leia posts anteriores, verá q tenho muitos defeitos,menos estes q vc cita.

Carlos disse...

Presidente dos EUA? Essa foi boa.risos.Acho que este anõnimo está de mal com a vida.Quem acompanha teu blog sabe que tu não está querendo soltar confete em si mesmo.parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

Mariana, se te candidatares a Presidenta dos EUA, me naturalizo americano, dou um jeito, e viro teu cabo eleitoral!!! Brincadeiras a parte, se não sabes, fique sabendo que até fazendo o bem a gente se incomoda.Tem quem não faça e se incomoda com os que fazem. É só ler teu post com isenção e espírito desarmado para entender que quiseste, muito mais,homenagear o menino e sua história de pobreza e dificuldades. É apenas um blog, não é uma coluna da Zero Hora, nem um espaço no JN.O único JULGADOR sabe disso.Abraço.Éverton.Ah,sim, os "anônimos" poderiam identificar-se.Todo mundo tem nome de batismo,não?

Anônimo disse...

PARABÉNS