segunda-feira, janeiro 11, 2010

A Farra da Impunidade

Neste domingo o jornal Zero Hora trouxe uma matéria de 3 páginas sobre a Farra da impunidade.
Minha opinião:
Não é nenhuma novidade que vivemos num país da impunidade, mesmo assim esta reportagem conseguiu ser rica em conteúdo, pela profundidade abordada e pela qualificação dos entrevistados.
Poderia dizer que a matéria foi fantástica, se a realidade constatada não fosse tão triste e crescente no nosso país.
Espero que tenha servido de alerta para os leitores saberem que é obrigação do cidadão além de votar, escolher com discernimento candidatos que realmente cumprem o papel de legislador e que tenham uma ficha limpa.
Desejo que esta reportagem tenha lançado uma semente neste RS, a da responsabilidade que cada eleitor tem em fiscalizar constantemente os seus representantes.
Quando o povo deixar de ser inerte, acomodado e exercer o seu papel de cidadão com responsabilidade, quem sabe será possível esta farra ter fim.
Afinal vivemos num país democrático e cabe ao eleitor escolher os legisladores com maturidade.
Ao reeleger maus políticos estamos dando carta branca a corrupção e impunidade.

Diz o antropólogo Luiz Eduardo Soares.
"Quem tem dinheiro para pagar excelentes advogados pode contar com inúmeras artimanhas para protelar o caso. Só pobre vai preso."

A reportagem relata que os advogados sabem que estão recebendo dinheiro da corrpução e que quando o político rouba, guarda uma parte para o pagamento da sua defesa.
Especialistas asseguram que a impunidade alimenta a corrupção.
Para os especialistas "os problemas estão na legislação tolerante, na falta de transparência e fiscalização e em práticas viciadas, como o alto número de cargos em comissão. Há quem aponte também uma questão cultural.
No Brasil, uns poucos têm mais direitos do que a maioria."
No Brasil, só vai para a cadeia quem é pobre”diz: Carlos Eduardo Ribeiro Lemos Juiz da 5ª Vara Criminal de Vitória


10 atitudes anticorrupção
Confira sugestões apontadas por especialistas ouvidos por ZH para acabar com a impunidade:
1 Redução do número de recursos usados para retardar processos judiciais. Hoje, um bom advogado é capaz de levar um crime até a prescrição. Com menos chicanas, a Justiça seria pressionada a ser mais rápida.
2 Ampliação dos prazos de prescrição para atos de improbidade administrativa e para crimes. Isso porque, muitas vezes, irregularidades são apenas descobertas nos governos seguintes.
3 A sociedade civil, principalmente a classe média, tem de descobrir seu papel em defesa do interesse público. Ao lado de órgãos estatais de investigação, cidadãos organizados, sem vínculos partidários, podem acompanhar os gastos públicos.
4 Extinção do foro privilegiado, mecanismo que tem servido para a impunidade de agentes públicos e servidores. Processos de corrupção envolvendo autoridades e desvio de recursos teriam melhor apuração e desfecho mais rápido.
5 Combate à noção de que todos são corruptos e de que não há saída. Ao aceitar esse argumento, o brasileiro se livra da sua responsabilidade, alimenta o ceticismo, a cumplicidade por omissão e a descrença no civismo, nas instituições e na política.
6 Como os atuais parlamentares não demonstram interesse em mudar as regras pelas quais se elegeram, a sociedade brasileira tem de tomar a linha de frente e pressionar a aprovação da reforma política, com um financiamento limpo e transparente.
7 Aprovação da exigência de ficha limpa para candidatos. Com isso, políticos com alguma condenação, com denúncias de crimes graves já aceitas por um tribunal ou que tenham renunciado a cargo público para evitar processos por quebra de decoro seriam impedidos de concorrer.
8 Prioridade na Justiça a processos envolvendo corrupção no serviço público. Seriam julgados primeiro as ações relacionadas a irregularidades cometidas por autoridades e funcionários públicos e a casos de desvio de dinheiro público.
9 Redução de cargos em comissão. Só no governo federal, há mais de 20 mil cargos de nomeação política.
Para ONGs que combatem a corrupção, os CCs são portas abertas para a corrupção no setor público.
10 Combate à proposta de emenda constitucional 358.
O projeto amplia o foro privilegiado a ex-autoridades e estende a prerrogativa a ações por improbidade administrativa.

27 comentários:

Chica disse...

Esse artigo foi muito legal e está MAIS do QUE NA HORA do povo acordar, pensar em quem vai votar,se vale a pena...beijos,chica

Pena disse...

Doce e Linda Amiga:
Cada vez mais, as sociedades democráticas são corruptas.
Em todas as Nações do Mundo.
O poder económico deles atinge grandes quantias duvidosas e as contas bancárias enchem-se à nossa custa. À custa do povo trabalhador que não respeitam. Somente lhes interessa no acto eleitoral. Aí prometem, mas jamais cumprem o que prometeram. Foram eleitos e pronto, nada mais.
Excelente Post.
Beijinhos amigos de imenso respeito, estima e consideração.
Com admiração pela sua imensa significação preciosa e sentido de justiça fabuloso.

pena

Excelente!
Bem-Haja, deliciosa amiga. Perfeita.

▒▓█► JOTA ENE disse...

Olá Mariana...

Não entendo bem as vossas politicas, até porque sou APOLITICO, não ligo minima para politica.

Vou-te add no ORKUT, tá?

Bjo

Anônimo disse...

Mariana...so elogios p/esta reportagem de Zh de domingo...hoje no Pais a CORRUPÇÃO ESTA INSTITUCIONALIZADA...(tomara q não chegue ao SUPREMO, pois ja houve uma discussão entre o Min.J.Barbosa e o Presidente G.Mendes...bastante aspera o q nos diz q algo houve)...mas senão vejamos qual ORGÃO Q NAO TEVE BANDALHEIRA NESTE PAIS...EM TODOS OS GOVERNOS FEDERAIS APÓS DEMOCRATIZAÇÃO...SENADO E CAMARA OS DOIS MAIS CORRUPTOS DA HISTORIA DO BRASIL, GOVERNADORES CASSADOS E POR CASSAR(YEDA E OUTROS,ALIAS O MAIS ENVOLVIDOS SÃO DO PSDB..VEJAM BEM...)tivemos aqui no RS o caso DETRAN...ASSEMBLEIA,OP.SOLIDARIA, A MAIOR ROUBALHEIRA NA MERENDA ESCOLAR EM CANOAS, O CASO NA SEC.CULTURA, PROCERGS, DAER, CEEE, E AINDA POR VERIFICAR NO BANRISUL(pois Feijo diz q tem), na Prefeitura tivemos problemas no LIXO,PROJOVEM E AGORA NO ESGOTO EDIFICADO DO FOGAÇA...q esta virando esgoto mesmo...quantos Juizes ja tivemos oportunidade de ver BANDALHEIRA DE SENTENÇAS E DE PROTEÇÃO A BANDIDOS...querem mais...tem mais...agora nao lembro...mas existe...fora o q esta em ZH...nao esqueçam VOTEM E BEM...escolham o MELHOR DOS MELHORES ENTRE TODOS OS ORDINARIOS POLITICOS Q TEMOS NO RIO GRANDE DO SUL...pois eu nao acredito mais nesta CORJA.- jader martins.-

Maria José disse...

Mariana. Eu acredito que somente a educação pode abrir os olhos do povo para dizer um grande NÃO a todo este sistema político recheado de corrupção e interesse próprio. Enquanto o estômago doer de fome, enquanto o frio penetrar a pele... acho difícil haver mudança de ideal. Muito bom este artigo. Beijos e tenha uma ótima semana.

Anne Lieri disse...

Mariana,excelente alerta o seu post!Temos mesmo que ter esperança que nem todos os politicos são corruptos e encontrar um que possa fazer a diferença!Bjs,

Elaine Barnes disse...

Toda regra tem sus excessão,mas, não tem como não generalizar,a maioria quando chega la´,sentem-se poderosos e o poder corrompe.Infelizmente.Os politicos se fazem pelo dinheiro,lutam pelo aumento de seus salários absurdos e não lutam pelo povo, pela falta de emprego e nunca vi ninguém mover uma palha para quem tem 48 anos ou mais com experiência ou não,simplesmente não tem emprego para essa faixa etária,mas, para os políticos sim. bjão

angela disse...

Importante algumas questões levantadas. Cuidar para não generalizar e banalizar, devendo se diferenciar dos corruptos e lutar para modificar algumas brechas da justiça que só servem aos espertalhões.
beijos

Daniel Savio disse...

Tenho de concordar contigo, principalmente quando diz que a gente é responsavel por esta farra...

Fique com Deus, menina Mariana.
Um abraço.

Pelos caminhos da vida. disse...

Não gosto muito de politica.

Mas fica ai um alerta.

beijooo.

Barbara disse...

Sua postagem é de seriedade mas o que acontece e o que sempre aconteceu na história do país, quiçá da humanidade, é reflexo do indivíduo, dos grupos, do povo.
Não há excessão disso na história do homem no mundo.
Veja um aspecto positivo disso: a revolução pacífica que tornou a Índia independente do domínio ingles.
É triste, real, bizarro, sinistro mas é sim. Uma pena.

Sonia disse...

É isso aí, impunidade eu vejo dentro do meu ´próprio local de trabalho.
Escolhi trabalhar na saúde, porque cansei de ver tanta gente sofrer com o descaso dos hospitais públicos.
Mas hoje depois de tantos anos na luta para melhores condições aos usuários, vejo que sou impotente.
Tudo depende da boa vontade da chefia, e nem sempre eles enxergam o sofrimento do outro, é fácil dizer não. Para eles, para mim, é muito difícil, o sofrimento fez parte de minha vida desde a minha juventude, dentro da minha casa, com doenças de minha mãe, sua morte, depois do meu marido, e agora do meu próprio filho.

Dói muito... Esse é um país onde quem pode fazer mais e melhor, só olha para o próprio umbigo.

abraços.

caurosa disse...

Olá minha cara Mariana, passei para uma visita e adorei o seu blog, muito inteligente e criativo, belos textos, críticos e reflexivos, parabéns, espero poder voltar por aqui.

Paz e harmonia,

Forte abraço

Caurosa

Cleo disse...

Mariana, obrigada pela visita. Teu blog é de primeiríssima linha, e vê-se aqui que o povo está alerta, tomara, porque esta batalha é de muita gente juntas. eu li o artigo na ZH e me indignei, muito bom você postar aqui e circular bastante. Parabéns.
gostei de saber que és de Gravataí, aqui pertinho de POA, qualquer hora nos encontramos por aí.
Beijos e uma semana de paz e luz.
Cleo

Sônia Silvino disse...

Mariana!
Fico cada vez mais indignada com a classe política deste país. Mas não tenho dúvidas de que a impunidade alimenta a corrupção e outros cânceres da nossa política!
Bjkas, minha amiga!

José disse...

Mariana, sempre atenta mais um texto
em cheio, na moge.
Com os dez Mondamentos para uma politica mais limpa, mais bem lavada,
e muito menos poluída, basta que o povo queira.

Um beijo.

sercon disse...

sendo aparidario n vou comentar
de kualker forma aproveito p desejar um bom ano

sercon

www.lenteoculta.blogspot.com

Everson Russo disse...

Estamos em ano de eleição, temos que pensar bem em quem vamos colocar lá pra nos representar....um beijo e um dia belo pra ti.

Myÿ h disse...

Hoje pela manhã fui assistir ao jornal que passa na Globo às 7horas, e então eu vi uma notícia que claro, e como foi dito no jornal, já era de se esperar: Arruda será investigado por seus próprios aliados.
O Brasil, e não só o Brasil, está cheio de impunidade e atitudes "duvidosas" (lê-se: horríveis), espalhada por todo lado, e não só na política, mas também no povo, e se não houver uma mudança na cabeça da população, não será no senado, concerteza!

- Obrigada pelos votos :) -

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Brilhante sua preocupação e empenho,Mariana. Concordo com tudo,às vezes me dá nojo ver jornal na tv por isso. Muito fácil, né.Eles legislam em causas próprias, fazem as próprias leis e votam os próprios sala´rios. Beijos. Parabéns

Geisa Machado disse...

Sabe como resolvi a questão "em quem votar?"? Anulando meu voto. E já faço isso há um bom tempo. Se os governantes eleitos saem do povo, enquanto o povo continuar alienante, manupilante e ignorante (mas achando que são os espertos), vai continuar tudo como está.
Querida, coloquei um comentário no meu post esclarecendo um pouco mais o texto que escrevi. Assim que puder, dê um pulinho lá, ok?
Bjusss

manuela baptista disse...

Mariana

gosto de vir aqui, pois é bem melhor do que ler o jornal!

É muito mais verdadeiro!

Beijinhos

Manuela

ONG ALERTA disse...

Precisamos fazer nossa parte como cidadão não devemos mais deixar de lado nossas obrigações a melhor resposta será nas urnas neste ano...

Lidia Ferreira disse...

Minha amiga , nosso concordo com vc em ponto e vírgula
o dinheiro compra o melhor advogado e verdade olha o caso Pimenta neves , mais de 10 anos de impunidade
bjs

CARLA FABIANE... disse...

Não abandone a leveza dos seus gestos,
nem a suavidade de suas palavras...
Não deixe de colher rosas por medo dos espinhos,
nem de se emocionar ao receber um carinho...

Siga seu próprio modelo:
Simples como a natureza,
doce como mel...
Acaricie os pensamentos de quem lembrar de você, e adoce os lábios de
quem pronunciar o seu nome.
... E que o vento possa levar-lhe uma voz,
que diz que há uma Amigo em algum lugar do Mundo
desejando que você esteja bem e feliz...

Mariano P. Sousa disse...

Mariana minha amiga e também xará!
Esse artigo teria que ser disponibilizado para que mais e mais pessoas lessem.
Pois ele é um alerta valioso.
beijão e um lindo final de semana!

SERLOS-SERCAR disse...

Preocupa-me que comentários arcaicos fundamentalistas comunistas-socialistas estejam tentando dominar por meio de alguns blogs, twitters e outros meios de divulgação que estão à margem das informações oficiais e dos canais credenciados. A comunciação é coisa séria e precisa ser filtrada constantemente, pois a prática da desqualificação de adversários politicos hoje no Rio Grande do Sul tornou-se contumaz. Qualquer um pode chegar e desqualificar seu adversário via panfletagem, ou outro meio qualquer. Mentir e industriar calúnias, denegrir imagens que levaram anos para se estabelecerem com trabalho árduo. Gostaria de ver os caluniadores subirem no topo de uma torre de igreja e abrirem seu travesseiro de penas e lançarem ao ar e o vento se encarregaria de espalhar as penas por todos os lados. E depois de verem que mentiram e fizeram mal estarrecedor ao próximo tentarem juntar pena por pena para encher novamente o travesseiro. Os conselheiros de um lado só; os sábios de um livro só são os que erram e causam prejuízos à sociedade, prejuízos esses que não são recuperados jamais. É preciso que que haja união das forças vivas Rio-Grandenses para lutarem juntas pelos mesmos propósitos que são o Crescimento Econômico do Rio Grande; a Pujança do Estado e a Qualidade de Vida de Seu Povo. Mas na guerra existe somente solavancos e não se alavanca nada para alimentar o bem estar do povo e o crescimento do Estado. Vivemos uma balbúrdia política cheia de intrigas e de fanatismos guerrilheiros.